segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Post #205 (Vento Pt. VII)

Enquanto a chuva corre a calha, diga que me ama e te preparo um chazinho.
Cansei de procurar no escuro aquele "te amo" que sua boca deixou cair.
Custa aparecer nessa janela e me jogar um beijo com a mão para eu poder dormir em paz?
Percebi que, em todos os dias que te vejo, minha cama fica mais macia. Durmo melhor.
Adentro à floresta das prosas. Minhas linhas andam demais e sempre param em você. Sempre escrevo sobre você.
Conheci um zé bosta que fazia umas frases e ninguém lia. Coitado do menino.
Bebês e seus pés que mais parecem bisnaguinhas.
Minha mão chama tua cintura.
Árvore, conte-me um segredo teu. Posso deitar aos seus pés?
Que saudades tá me dando de você, preciso logo fechar esse meu livro.
Tá me dando uma dor de barriga toda essa melação nas frases.


Nenhum comentário:

Postar um comentário